Encontre-nos nas redes sociais:

Instagram da IPGO

Use o sistema de busca.

Imunologia da Infertilidade

Home » Artigo » Imunologia da Infertilidade
Agende sua Consulta

Leia na hora certa - Use o leitor QR Code e armazene este assunto para ler diretamente em seu Smartphone

A infertilidade está presente na vida dos casais muito mais do que se pensa. De cada dez mulheres que tentam engravidar, duas enfrentam dificuldades. Como uma alternativa para tentar resolver esse problema e propiciar a todos o direito de ter filhos, a imunologia da infertilidade surgiu como um novo capítulo da Reprodução Humana, que trata de casais com problemas para engravidar e avalia o comportamento imunológico (uma espécie de “alergia” ou rejeição) nos casos de infertilidade inexplicável ou de tratamentos fracassados.

Cerca de 30% das causas da infertilidade são causadas por problemas no homem ou na mulher. Mais 30% são causados pelo casal em conjunto e 10% não possuem causa preexistente. Na pesquisa da fertilidade, os fatores são estudados levando-se em consideração cada uma das etapas no processo de reprodução, mas até hoje os exames solicitados pelos médicos baseavam-se somente na busca de causas hormonais, anatômicas, endometriose ou problemas na fertilidade masculina. As pesquisas paravam nesse patamar e, frente ao fracasso dos tratamentos, repetiam-se os mesmos procedimentos sem novas alternativas que justificassem o insucesso

Novas pesquisas tem demonstrado que mecanismos imunológicos podem dificultar a implantação e a permanência no útero dos embriões e do futuro bebê e, por isso, a mulher não consegue ficar grávida.

Os novos tratamentos variam de uma simples aspirina infantil até a prescrição de anticoagulantes potentes (heparina), antialérgicos e imunogloboliina injetável. A maioria dos exames solicitados é realizada em laboratórios especializados, e consistem em Th1 e Th2, KIR/HLA-C, anticorpos autofoslipides, anticorpo antifolfadil – Serina, anticorpos antitireoidianos, anticorpo antinucleares, IgA e a pesquisa de Células NK entre outros. Os tratamentos mais comuns são Corticoides, Imunoglobulina, Intralipid ® / Lipofundin ® (Intralipídeo), G-CSF (Granulocyte-colony Stimulating Factor ou Fator estimulante de colônia
de granulócitos), Anti-TNF (Adalimumab), Tacrolimus, Sirolimo (Rapamune ® ) e Injeção intrauterina de Plasma Rico em plaquetas (PRP).

Para saber mais sobre este assunto CLIQUE AQUI:

Comments

comments