Navegue pelo conteúdo do Post

TPM: Saiba como conviver com este mal que afeta tantas mulheres

Atualmente o sucesso feminino na vida profissional é inquestionável. A mulher moderna consegue conciliar vida familiar, carreira e atividades sociais com muito jogo de cintura e disposição. Mas isso não significa que seja fácil para ela assumir tantos papéis. Até porque um dos principais obstáculos pode partir de seu próprio organismo e, muitas vezes, nem mesmo é encarado como um problema: a TPM.

A Tensão Pré-Menstrual ou TPM afeta nada menos que 75% das mulheres em idade fértil. Destas, cerca de 8% apresentam o distúrbio em grau elevado. E apenas 7% das mulheres nunca tiveram sintomas.

Sua ação pode ser tão prejudicial à vida da mulher, que não é raro ocorrerem demissões por causa de brigas ou faltas no trabalho durante a TPM. Sem contar que inúmeros acidentes são causados pela diminuição da concentração neste período.

Os homens também sofrem com o problema, já que é mais difícil lidar com as mulheres durante os dias críticos da doença. “A TPM pode tornar a vida tanto da mulher quanto do homem mais difícil. Basta olhar a sua volta para constatar que sempre estamos próximos de mulheres que podem sofrer deste mal”, diz Dr Arnaldo Cambiaghi, especialista em Reprodução Humana e diretor clínico do IPGO – Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia.

A TPM possui inúmeros sintomas físicos e psicológicos, que variam desde a sensação de inchaço causada pela retenção de líquidos, até a instabilidade emocional, como raiva e crises de choro. Normalmente, o problema se caracteriza pela combinação de dois ou mais sintomas, que se repetem por meses seguidos. Ocorre, em média, 10 dias antes do início da menstruação e geralmente acaba no primeiro dia do fluxo menstrual.

As causas do distúrbio ainda não são bem conhecidas. A maioria dos especialistas acredita que ele pode ser causado por alterações bioquímicas dos hormônios e variações nos neurotransmissores, problemas que podem ser desencadeados pelos hábitos alimentares e pelo estilo de vida.

Um fator preocupante é que a maioria das mulheres ainda vê a TPM como um problema corriqueiro e inevitável, e muitas até não admitem que sofram do distúrbio. “A Tensão Pré-Menstrual é comum, mas não deve ser considerada normal”, alerta o Dr. Arnaldo.

O médico classifica quatro grupos principais de TPM. O primeiro grupo é formado por mulheres cujos sintomas predominantes são a agressividade e a ansiedade. O segundo, engloba aquelas que apresentam grande quantidade de alterações afetivas, como, por exemplo, os sintomas depressivos. O terceiro grupo é composto pelas mulheres que possuem alterações físicas, resultantes da retenção de líquidos. E o quarto grupo é formado por aquelas que sentem, durante o período, mudanças alimentares, como a falta de apetite ou o desejo insaciável por determinado alimento. Isso não significa que a mulher não possa ter sintomas de dois ou mais grupos durante a TPM, porém sua classificação depende do sintoma mais comum.

Para tratar do problema, antes de qualquer atitude deve-se consultar um ginecologista, pois a TPM é um distúrbio que varia de mulher para mulher. Só uma análise individual pode indicar o tratamento adequado. Além disso, ressalta Dr Arnaldo, mudanças no estilo de vida e nos hábitos alimentares também são muito importantes para combater o problema. “A mulher deve beber bastante água, evitar doces e alimentos gordurosos e ricos em sal. Praticar alguma atividade física também ajuda, pois libera endorfina, que provoca a sensação de bem-estar”, aconselha Cambiaghi.

O especialista também dá dicas para os homens conviverem melhor com as mulheres nesse período. “Ajude nas tarefas domésticas e deixe as críticas para um outro momento. Colabore para que ela mantenha distância do café, cigarro e álcool”, aconselha Dr. Arnaldo.

Compartilhe:
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on linkedin

Tem alguma dúvida sobre esse assunto?

Envie a sua pergunta sobre assunto que eu responderei o mais breve possível!

Tem alguma dúvida sobre esse assunto?

Envie a sua pergunta sobre assunto que eu responderei o mais breve possível!

Posts Recentes:

MÃE SOLO

Por ser mais frequente mulheres desejarem a “produção independente” quando comparamos com os homens, darei início pelo lado feminino. 1.

Leia mais »
Newsletter
Para mais informações entre em contato com o IPGO

Fale conosco por WhatsApp, e-mail ou telefone

Inscreva-se na nossa newsletter e fique por dentro de tudo!