Navegue pelo conteúdo do Post

13 aspectos importantes sobre Adenomiose

13-aspectos-importantes-sobre-adenomiose

A Adenomiose é uma doença frequentemente assintomática, e pouco diagnosticada. Neste artigo nós do IPGO – Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia, queremos te ajudar a entender um pouco mais sobre esta doença que é tratável, mas que deve ser assistida com cuidado, pois pode ter sérios impactos na fertilidade feminina e na qualidade de vida. Conheça os 13 aspectos mais importantes sobre Adenomiose.

Este artigo é um resumo. Clique AQUI para conhecer
todos os detalhes desta doença.

1. O que é Adenomiose?

A Adenomiose é uma doença uterina caracterizada quando ocorre uma infiltração para o interior da parede muscular do útero. 

2. Quais São os Sintomas da Adenomiose?

Não existem sintomas específicos, porém os sintomas mais comuns são:

  • Cólicas menstruais intensas,
  • Sangramentos vaginais irregulares e algumas vezes abundantes,
  • Dor em relações sexuais,
  • Desconforto e inchaço abdominal entre outros sintomas.

Como não existem sintomas específicos da adenomiose, e em muitos casos ela pode ser assintomática, seu diagnóstico é difícil e muitas vezes descoberto quando o médico tem um olhar determinado na busca da doença.

O recomendável em caso destes sintomas é Agendar uma Consulta com o médico que irá fazer uma investigação para o diagnóstico e tratamento correto da  Adenomiose.

3. Quais são os tipos de Adenomiose?

Existem dois tipos de Adenomiose a Difusa e a Focal. Dependendo da região do útero que foi afetada a Adenomiose pode ser classificada como: Adenomiose Superficial, Adenomiose intermediária e Adenomiose Profunda.

  • Adenomiose Focal – Quando há presença de glândulas e tecidos em uma parte específica do útero.
  • Adenomiose Difusa – Quando há presença de glândulas e tecidos espalhadas pela parede uterina.

4. O que Causa Adenomiose?

Os mecanismos que levam à adenomiose ainda não são perfeitamente conhecidos, porém, o que se sabe é que existem alguns fatores que podem ter influência para o surgimento da doença como contrações esporádicas do útero, cirurgias intraútero (curetagens por exemplo) e outras causas não específicas.

5. Quais mulheres têm maior risco de ter adenomiose?

As mulheres que têm mais risco de desenvolver adenomiose, geralmente tem os seguintes fatores como influenciadores:

Fatores de Risco para Desenvolver Adenomiose:

  • Aborto espontâneo
  • Endometriose
  • Menorragia (sangramento vaginal irregular)
  • Infertilidade
  • Curetagem por aborto (a sucção por AMIU diminui a chance)
  • Parto prematuro
  • Hiperplasia endometrial (endométrio espessado)

6. Adenomiose e Gravidez

Pacientes que tem adenomiose frequentemente também tem problemas de fertilidade. Estudos demonstram que pacientes com Adenomiose uterina tem maior taxa de abortamento no primeiro trimestre de gestação, além de ter maior incidência de parto prematuro. Porém, ressaltamos que com um bom tratamento é possível resolver estas complicações antecipadamente.

7. A adenomiose causa infertilidade?

Sim, A Adenomiose pode causar infertilidade porque afeta o transporte do óvulo pelas tubas até o útero além de prejudicar a receptividade do endométrio.

8. Como diagnosticar a adenomiose?

Para diagnosticar a Adenomiose os exames mais são a Ressonância Magnética e a Ultrassonografia Transvaginal. Atualmente aqui no IPGO recomendamos o exame de ultrassom com preparo intestinal para que se avalie também a endometriose que, frequentemente, está associada à adenomiose. Neste exame, a adenomiose é considerada grave quando compromete mais do que 50% do miométrio.

Outros exames que podem ser solicitados para diagnosticar Adenomiose.

  • Tomografia computadorizada: o diagnóstico de Adenomiose é sugerido perante um útero aumentado, um espessamento do miométrio interno e cistos miometriais. Contudo, não permite uma correta distinção entre Adenomiose, miométrio normal e miomas uterinos, tendo pouca utilidade quando usado isoladamente.
  • Histeroscopia: é uma ferramenta de diagnóstico e tratamento, sendo frequente na investigação de casais inférteis e hemorragia uterina anormal. É um exame que permite a visualização direta da cavidade uterina bem como a possibilidade de executar recolha de material para biópsias endometriais. Eventualmente lesões que podem ser sugestivas de Adenomiose. Como apenas as formas severas são visíveis, não tem indicação primária para o diagnóstico de Adenomiose, sendo solicitada quando há necessidade de realizar coleta de material para biópsia.

9. Qual é o melhor tratamento para adenomiose?

O melhor tratamento para Adenomiose deve ser avaliado e prescrito pelo seu médico. O tratamento da Adenomiose uterina pode ser Hormonal ou Não Hormonal, e em alguns casos quando a insucesso terapêutico o tratamento pode ser cirúrgico.

Os medicamentos que podem ser utilizados no tratamento de Adenomiose são:

Os mais importantes:

  • DIU hormonal de Levonorgestrel (Mirena®)
  • Agonistas do GnRH
  • Danazol
  • Moduladores Seletivos da Progesterona
  • Progestagênios (dionogeste e Medroxiprogesterona)
  • Pílula anticoncepcional
  • Gestrinona
  • Inibidores da aromatase

Outros Medicamentos:

  • Anti-inflamatórios
  • Antioxidantes
  • Carbegolina
  • Inibidores da angiogenese (Avastin®)
  • Fulvestrant® (Inibidor do estrogênio)

Complementares:

  • Puerarina
  • Quercetina
  • Curcumina
  • Ácido Valproico
  • Antiplaquetários
  • Andrographolide

Como vemos no quadro abaixo os medicamentos para o tratamento da adenomiose, quando bem aplicados pelo seu médico, podem ter excelentes resultados.

Resumo dos resultados de mulheres com Adenomiose e/ou Adenomioma após tratamento médico

13 aspectos importantes sobre Adenomiose

10. Tratamento Cirúrgico Adenomiose

O tratamento cirúrgico da Adenomiose é dividido em dois Tipos:

  • Radical (Histerectomia)
  • Conservador (Remoção dos cistos de adenomiose)

Quanto às Técnicas Cirúrgicas podem ser feitas por embolização da artéria uterina, Cirurgia por ultrassom guiada pela Ressonância Magnética (Magnetic Resonance – Guided Focused Ultrasound Surgery).

11. Adenomiose tem cura?

A Adenomiose pode ter cura, o tratamento definitivo quando há indicação é através de cirurgia que pode ser parcial ou radical.

12. Adenomiose engorda?

Não, não há relação comprovada entre Adenomiose e aumento de peso.

13. Se você tem adenomiose e quer engravidar, o que deve fazer?

Se você tem Adenomiose e deseja engravidar recomendamos Agendar uma Consulta com Médico Especialista em Reprodução Humana para Avaliação e Tratamento.

A Técnica de Reprodução Assistida – FIV pode ser uma opção nas doentes inférteis com adenomiose que pretendem engravidar.

Aqui no IPGO – Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia, você encontra o melhor tratamento para Adenomiose.

Isto porque, nosso instituto além de ter os melhores profissionais de Reprodução Assistida, conta com o nosso protocolo de Atendimento Centrado na Necessidade do Paciente – ACNP.

Desenvolvido especialmente pela IPGO para garantir um atendimento humanizado e focado em toda a experiência do paciente até o final do seu tratamento de adenomiose.


Quer saber mais sobre tratamento para Mulheres Más Respondedoras? Baixe Gratuitamente o nosso E-book Guia da Adenomiose  de autoria do Dr. Arnaldo Schizzi Cambiaghi e Dr. Dr. Rogério B.F Leão.

Ebook Guia da Adenomiose IPGO

Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia – IPGO.
Há mais de 30 anos Dividindo Sonhos, Multiplicando Alegrias com Ciência, Segurança e Inovação.

Compartilhe:
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on linkedin
Inscreva-se na nossa newsletter e fique por dentro de tudo!
Posts Recentes:
Para mais informações entre em contato com o IPGO

Fale conosco por WhatsApp, e-mail ou telefone