Início » Infertilidade crescente em casais e causa problemas sociais e econômicos no mundo todo

Infertilidade crescente em casais e causa problemas sociais e econômicos no mundo todo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

“Embora a infertilidade seja considerada um problema secundário pelos serviços de saúde pública e seguros-saúde do mundo todo ela pode interferir no bem-estar social e na economia”, afirma Willian Ledger.

Esta afirmação foi feita pelo professor Willian Ledger, do Centro de Reprodução Humana de Sheffield, na Inglaterra, durante o 21º Congresso Anual da Sociedade Européia de Reprodução Humana (ESRH), realizado em Copenhague, Dinamarca, na última quinzena de junho. Segundo o professor as DSTs – Doenças Sexualmente Transmissíveis, como a clamídia, vem aumentando e afetando a fertilidade de homem e mulher, além de causar um aumento de consultas médicas e tratamentos de infertilidade por este motivo.

Outro problema freqüente é a obesidade que esta cada vez mais freqüente nos últimos anos acarretando a diminuição da fertilidade pelo excesso de gordura e trazendo o aumento da Síndrome dos Ovários Policísticos, uma doença ovariana que provoca uma desordem hormonal em 15% das mulheres em fase reprodutiva podendo levar a infertilidade em 50% delas.

Também encontramos na busca da mulher pelo espaço profissional, uma realidade mundial que adia a maternidade para uma idade mais avançada, outro problema. A mulher a partir dos 35 anos tem sua fertilidade progressivamente diminuída a cada ano e a somatória destas dificuldades, segundo dr. Ledger, atingirão as conseqüências sociais e econômicas destes casais , pois quase sempre desejam filhos e a busca por tratamento especializado aumentam na mesma proporção.

Segundo dr. Arnaldo Cambiaghi, especialista em infertilidade do Centro de Reprodução Humana do IPGO – Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia, presente nesta conferência, o estudo do professor Ledger traduz a verdade de todos os países inclusive o Brasil.

“Apesar das campanhas para o uso do preservativo, ainda observo uma grande resistência dos jovens em usá-lo. O número de crianças obesas que provavelmente serão os adultos obesos de amanhã está aumentando. A cada dia aumenta o número de casais buscando tratamento de infertilidade, principalmente mulheres com idade ao redor de 40 anos”, complementa dr. Cambiaghi.

“No Brasil as conseqüências podem ser ainda piores. Ao contrário de outros países da Europa que limitam o número de embriões transferidos para outros (lá muitos tratamentos são gratuitos), aqui a maioria dos casais tem que pagar pelo tratamento. Por serem caros e o orçamento ser quase sempre limitado, este número de embriões é maior. Isso aumenta o número de gestações múltiplas sendo maiores as chances de complicações e um custo econômico mais alto” finaliza dr. Cambiaghi.

Informações à imprensa: LaVida Press

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agende
Ligue
Mensagem
WhatsAPP
Valores e Dúvidas sobre os Tratamentos no IPGO?
Tire suas dúvida e saibas os valores dos nossos tratamentos
Exame aumenta as chances de sucesso nos tratamentos de FIV
Exame oferece novas perspectivas para mulheres que tiveram falhas repetidas nos tratamentos de fertilização in vitro
11 motivos para a paciente procurar o IPGO

Por que os pacientes com problemas para engravidar e precisam de ajuda de um especialista devem escolher o IPGO?

Por que os pacientes com problemas para engravidar e precisam de ajuda de um especialista devem escolher o IPGO?

Conheça os livros digitais do IPGO

Leve para sua casa a maior coleção de E-books sobre fertilização

Adquira já os Livros Publicados do IPGO

Tenha em mãos a sua coleção

Podcast Da Fertilidade

Nossos conteúdos disponíveis a qualquer hora do dia

spotify-lateral
Valores e Dúvidas sobre os
Tratamentos
Tire suas dúvida e saibas os valores dos nossos tratamentos