Início » CUIDADOS APÓS A TRANSFERÊNCIA EMBRIONÁRIA

CUIDADOS APÓS A TRANSFERÊNCIA EMBRIONÁRIA

O controle após a transferência dos embriões deve ser rigoroso. É importante confirmar o local da implantação embrionária em uma fase inicial, uma vez que pode haver implantações ectópicas (fora da cavidade uterina). A gravidez ectópica é mais frequente em todas as malformações uterinas, e ainda muito mais nos úteros unicornos.

Os abortos de primeiro trimestre são frequentes nos úteros septados, mas têm incidência normal nos úteros que já foram submetidos à septoplástia (ou metroplastia).

Os partos prematuros ocorrem em 15% a 45% de pacientes com malformações uterinas, mesmo nos casos de um embrião único. A realização de cerclagem profilática deve ser considerada como medida preventiva desse evento. O uso de um pessário tem a mesma função preventiva e pode também ser muito útil. Durante o pré-natal, deve ser realizado mensalmente o ultrassom transvaginal para medir o comprimento do colo uterino e, no caso de um único corno, o repouso absoluto deverá ser recomendado, até o momento que o bebê seja viável.

A agenesia de um dos rins, tão comum nestas pacientes que têm malformação mülleriana, pode acarretar hipertensão arterial e hipertensão gestacional, e isso pode implicar avaliações mais frequentes durante o pré-natal. Quanto ao parto, a incidência de cesárias é maior, e isso é atribuído à prematuridade, mal posicionamento fetal (situação transversa) e ao próprio histórico de infertilidade.

Valores e Dúvidas sobre os
Tratamentos
Tire suas dúvida e saibas os valores dos nossos tratamentos