Início » INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO

Para uma pessoa ou um casal engravidar (temos que considerar as famílias monoparentais) é necessário que tanto o homem como a mulher tenham um organismo saudável e funcionando adequadamente. A mulher deve ovular e o caminho a ser percorrido pelo óvulo e pelos espermatozoides deve estar completamente livre para que possam se encontrar e ocorrer a fertilização. A gravidez espontânea pressupõe relações sexuais adequadas que devem acontecer na época da ovulação, seguida da fecundação e da implantação dos embriões.

Na pesquisa da fertilidade, leva-se em consideração cada uma das etapas no processo de reprodução. Para cada uma delas, solicitam-se exames básicos que visam afastar ou confirmar hipóteses e diagnósticos. Deve-se deixar claro que o conceito de fertilidade é do casal e que a responsabilidade na dificuldade em ter filhos pertence aos dois. É claro que existem algumas situações que contradizem essa afirmação, como nos casos de homens submetidos à vasectomia ou mulheres com falência ovariana, casais homoafetivos ou produção independente.

Em termos didáticos, são seis os fatores que devem ser pesquisados e que podem atrapalhar um casal a ter filhos. Do lado masculino, muitos maridos, para se esquivarem do exame do sêmen (espermograma), concluem, antecipadamente, que são férteis, relatando histórias “fantásticas” de um passado antigo que, muitas vezes, só eles conhecem. Independentemente do que digam, o espermograma inicial é obrigatório. Entretanto, é importante lembrar que cerca de 15% dos casais não conseguem a gestação durante um determinado período e não se encontram justificativas médicas para esta dificuldade. Consideraremos como o sétimo fator, portanto, a chamada Infertilidade Inexplicável ou Infertilidade Sem Causa Aparente (ISCA). De um modo didático classificamos as causas de infertilidade da seguinte forma:

  • Fator masculino
  • Fator hormonal e fator ovariano: problemas hormonais da mulher e da ovulação
  • Fator anatômico: pesquisa da integridade anatômica do útero, tubas, colo uterino e aderências
  • Fator endometriose
  • Infertilidade de causas genéticas/cromossômicas
  • Outros: fatores imunológicos e trombofilias
  • Infertilidade Inexplicável ou Infertilidade Sem Causa Aparente (ISCA)

FIGURA 1. DISTRIBUIÇÃO EM PORCENTAGEM DAS CAUSAS DE INFERTILIDADE DE ACORDO COM O SEXO

FIGURA 2. DISTRIBUIÇÃO EM PORCENTAGEM DAS CAUSAS DE INFERTILIDADE FEMININA

Valores e Dúvidas sobre os
Tratamentos
Tire suas dúvida e saibas os valores dos nossos tratamentos