Navegue pelo conteúdo do Post

Tratamento cirúrgico para malformações uterinas

A necessidade de correção das malformações uterinas varia caso a caso. O útero septado é a anomalia uterina mais prevalente, com piores resultados reprodutivos e mais facilmente passível de tratamento. O útero arqueado geralmente é inocente, sem benefícios com intervenção cirúrgica. Os úteros bicórneo e didelfo, se associados a maus resultados reprodutivos, são passíveis de correção com a metroplastia de reunificação de Strassman. No útero unicorno, normalmente não se intervém, mas deve-se monitorizar cuidadosamente a gestação. Pode ser necessário remover cornos uterinos rudimentares, pelo risco de complicações graves. Nos casos de agenesia (ausência) ou hipoplasia (desenvolvimento deficiente) do útero, pode-se considerar a maternidade por meio de útero de substituição (“barriga-de-aluguel”) e, em situações extremas, o transplante uterino. A decisão do procedimento deve levar em conta o tipo de malformação, as suas manifestações e os planos reprodutivos. Se não houver interesse em gestação e também não houver repercussão clínica, não há necessidade de cirurgia.

Quando se trata de fertilidade, o objetivo do tratamento das malformações uterinas prende-se à restauração da arquitetura uterina para que a mulher consiga a gestação com desenvolvimento saudável. Por isso, deve-se ponderar sobre a decisão do melhor procedimento.

Este texto foi extraído do e-book “Malformações Uterinas”.
Faça o download gratuitamente do e-book completo clicando no botão abaixo:

Compartilhe:
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on linkedin

Tem alguma dúvida sobre esse assunto?

Envie a sua pergunta sobre assunto que eu responderei o mais breve possível!

Tem alguma dúvida sobre esse assunto?

Envie a sua pergunta sobre assunto que eu responderei o mais breve possível!

Posts Recentes:

Histórico C.V.V.

São Paulo 13 de dezembro de 2001 Prezada Senhora e Senhor,Dr. Arnaldo Schizzi CambiaghiDra. Sandra Maria Alexandre Bom dia, Estou

Leia mais »
Newsletter
Para mais informações entre em contato com o IPGO

Fale conosco por WhatsApp, e-mail ou telefone

Inscreva-se na nossa newsletter e fique por dentro de tudo!