Navegue pelo conteúdo do Post

MIOMECTOMIA – MIOMAS INTRAMURAIS

Quando optamos pela cirurgia, a escolha da melhor técnica de miomectomia vai depender da localização, do tamanho do mioma e da experiência do cirurgião. As abordagens mais usadas no tratamento destes miomas são a laparoscopia e a laparotomia, sendo a última a mais indicada quando existe suspeita de malignidade e quando os miomas são múltiplos (mais que 3) e de grandes dimensões (>7cm). Apesar de exigir maior competência técnica e tempo operatório, a laparoscopia apresenta menor número de complicações (hemorragia, dor pós-operatória) e permite uma mais rápida recuperação. As taxas de gravidez e recorrência aos 5 anos são similares.

Videoeolaparoscopia

É a via preferencial para a remoção dos miomas. O importante nesta via cirúrgica é o adequado fechamento do miométrio. Uma sutura bem feita é essencial para evitar o risco de rotura uterina em uma gravidez futura. A sutura das camadas do útero deve ser precisa para que o órgão se reconstrua adequadamente e com o mínimo de aderências. Portanto, a videolaparoscopia, pressupõe boa experiência em sutura laparoscópica e requer uma experiência muito grande do cirurgião, caso contrário, a via abdominal (laparotômica) pode ser mais indicada. Existem preocupação em acompanhar estas pacientes durante a gestação pelo ao potencial risco de ruptura uterina durante

o terceiro trimestre de gravidez após o procedimento. A miomectomia laparoscópica tem também a vantagem de causar menos aderências, embora estudos não mostrem diferença nas taxas de gravidez pós miomectomia laparoscópica comparada com a laparotomia. A intervenção em casos de miomas maiores pode ser precedida da ligadura das artérias uterinas, o que diminui sangramentos e recidiva sem prejudicar a fertilidade. A cirurgia robótica vem crescendo por apresentar maior facilidade operatória e permitir suturas mais precisas. As técnicas podem ainda ser combinadas: videolaparoscopia + mini-laparotomia. A ruptura uterina durante a gravidez após miomectomia laparoscópica foi atribuída à reconstrução inadequada do miométrio durante a cirurgia. Para aqueles que desejam a concepção, recomenda-se um atraso de 4-6 meses antes de tentar a gravidez após a miomectomia para permitir a cicatrização miometrial

Miomectomia aberta (LAPAROTOMIA)

A miomectomia por laparotomia deve ser a via de escolha quando houver grandes miomas intramurais ou subserosos (> 7 cm), ou quando houver expectativa de múltiplas aderências. Há casos, ainda, que se tenta realizar por laparoscopia mas tem que se converter para laparotomia. Os cuidados com a hemostasia e com as suturas devem ser os mesmos que na videolaparoscopia, assim, como a recomendação de aguardar 4-6 meses após a cirurgia para engravidar. Quanto ao pós operatório, há mais dor, maior tempo de recuperação e maior risco de infeção com a via lapartoômica. A taxa de recorrência é semelhante à miomectomia laparoscópica.

Este texto foi extraído do e-book “Miomas Uterinos e a Infertilidade”.
Faça o download gratuitamente do e-book completo clicando no botão abaixo:

Compartilhe:
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on linkedin

Tem alguma dúvida sobre esse assunto?

Envie a sua pergunta sobre assunto que eu responderei o mais breve possível!

Tem alguma dúvida sobre esse assunto?

Envie a sua pergunta sobre assunto que eu responderei o mais breve possível!

Posts Recentes:

Infecções e abortos

Qualquer infecção que leve à bacteremia ou viremia pode causar aborto de primeiro trimestre, mas, normalmente, não estão envolvidas em

Leia mais »
Newsletter
Para mais informações entre em contato com o IPGO

Fale conosco por WhatsApp, e-mail ou telefone

Inscreva-se na nossa newsletter e fique por dentro de tudo!